28 de fevereiro de 2009

Ribeirão das Lajes

Este foi outro passeio que o pessoal do FYC fez.
Hoje parece perto, mas antigamente, devia ser uma boa viagem. Localizado perto da RJ 127, a região ainda parece pouco habitada, e pelo jeito era preciso um trem ou bondinho para chegar ao destino. Seja lá onde for !
Será que a estrada de ferro foi conservada até os dias de hoje ?
As roupas das moças mostram bem a moda dos anos 30.

7 comentários:

  1. Moças super-modernas, usando calças compridas, o que era raro naquela época.

    ResponderExcluir
  2. oiee,axei essa foto na net e realmente é mto curioso ver ribeirão das lajes antes e ver hj.mta coisa mudou por aki!!
    antigamente só conseguia se chegar aki de bondinho!!!
    é bom ver como era ribeirão das lajes-piraí/rj

    ResponderExcluir
  3. sou nascido e criado ribeirao das lages esta foto que vc sew refere como uma estrada de ferro é um troller uma especie de bondinho de transporte de passageiros, em sua maioria funcionarios da usina.flavio
    thaifla@ig.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nasci na casa a esquerda das mulheres da foto em 23 -11-1958,morei neta casa 10 anos.
    Jose Antonio.
    jsmed2012@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. nasci neste lugar em 18/02/41 .se pudesse voltaria no tempo.Eu era feliz e não sabia .Meu nome é Alcides.Vulgo[Joaõ ninguem]"Que saudades"!obs:hj ele não existe mais.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Me parece que esta foto é da linha férrea do antigo Trolley (Bondinho elétrico) do Ipê, Piraí/RJ, próximo à Usina Hidrelétrica de Fontes em Ribeirão das Lajes. A linha férrea já não é mais utilizada devido a desativação do trolley. Acho que outro trolley próximo a este ainda funciona (o da Fazenda), porém apenas funcionários da Light são autorizados. Meu pai trabalhava nesses bondinhos e minha primeira casa ficava pertinho daquela ao fundo, no fim da década de 80. Muito legar ver essa foto antiga e muitas saudades tb. Abçs. J. Antunes elsingular@outlook.com

    ResponderExcluir
  7. Olá henrique,é bom rever esse lugar,se você tiver mais fotos divulga para matarmos a saudade.
    Quem sabe seu pai não conheceu o meu pai que se chamava Dilson Medeiros.
    Um abraço. José Antônio.

    ResponderExcluir